Produção industrial baiana varia 0,6% de maio para junho, mas segue em queda (-14,4%) frente a junho de 2019

 Segundo crescimento consecutivo frente ao mês anterior ainda está longe de compensar perdas em razão da pandemia. De março a junho, a produção industrial baiana acumula queda de -22,4%

 

Em junho, a produção industrial da Bahia voltou a apresentar variação positiva (0,6%) frente ao mês anterior, na comparação com ajuste sazonal, após ter avançado na passagem de abril para maio (6,4%). Ainda assim, houve forte desaceleração no resultado. 

Entretanto, o segundo crescimento seguido ainda não compensa as perdas em razão da pandemia. Nos quatro meses de março a junho, a queda acumulada na produção industrial baiana foi de -22,4%, reduzindo muito pouco em relação ao acumulado até maio (-22,8%).

De maio para junho, a alta da atividade fabril na Bahia (0,6%) foi a segunda menor entre os 15 locais investigados pela Pesquisa Industrial Mensal (PIM-PF) Regional do IBGE. Ficou acima apenas do resultado do Espírito Santo (0,4%) e bem abaixo do desempenho nacional (8,9%). 

Nessa comparação, houve resultados positivos em 14 dos 15 locais. Apenas Mato Grosso teve queda (-0,4%), enquanto Amazonas (65,7%), Ceará (39,2%) e Rio Grande do Sul (12,6%) tiveram os melhores desempenhos.

Em relação a junho de 2019, a produção industrial baiana seguiu em queda (-14,4%). Foi o terceiro resultado fortemente negativo nesse confronto, mas mostrando desaceleração no ritmo de recuo em relação aos meses anteriores (-26,2% em abril e -20,6% em maio). 

Ainda assim, foi o pior junho da produção industrial baiana na série histórica do IBGE, iniciada em 2002. 

O resultado da indústria baiana na comparação com o mesmo mês do ano passado ficou abaixo do nacional (-9,0%) e foi a terceira queda mais acentuada dentre os 15 locais pesquisados, acima apenas das verificadas no Esprito Santo (-32,4%) e no Ceará (-22,1%). 

Os resultados negativos seguiram predominantes em junho, e 12 das 15 áreas investigadas tiveram quedas. Goiás (5,4%), Pernambuco (2,8%) e Mato Grosso (1,6%) foram os únicos a apresentar avanço.

No primeiro semestre de 2020, a produção da indústria na Bahia acumula perda de -7,3%, em relação ao mesmo período de 2019. O resultado é melhor que o do Brasil como um todo (-10,9%). Nos 12 meses encerrados em junho, a indústria na Bahia também se mantém no negativo (-5,6%), frente aos 12 meses imediatamente anteriores. O resultado está idêntico ao verificado no Brasil como um todo (-5,6%). *IBGE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com
Close