Irmã Dulce será reconhecida como santa neste domingo

por Joberth Melo | Atualiza Bahia

Irmã Dulce será canonizada neste domingo (13) pela Igreja Católica. A cerimônia ocorrerá durante missa presidida pelo Papa Francisco na praça de São Pedro, no Vaticano. Outros quatro beatos também serão canonizados: John Henry Newman, cardeal, fundador do Oratório de São Filipe Néri na Inglaterra; Giuseppina Vannini (no século Giuditta Adelaide Agata), fundadora das Filhas de São Camilo;  Maria Teresa Chiramel Mankidiyan, fundadora da Congregação das Irmãs da Sagrada Família e Margherita Bays, Virgem, da Ordem Terceira de São Francisco de Assis.

Veja passo a passo como será a missa da canonização

1. Antes da missa, acontece uma apresentação artística com Margareth Menezes, Waldonys e José Maurício;

2. O coral do Vaticano dá início à missa com o canto inicial para a entrada do Papa Francisco, que logo depois saúda os fiéis e inicia a celebração;

3. O italiano Dom Angelo Becciu, cardeal prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, faz uma leitura da biografia de cada um dos novos santos;

4. Na sequência, começa o cântico dos santos, onde são ditos os nomes de vários deles;

5. O rito da canonização segue com os postuladores da causa de cada santo, que vão até o papa e pedem a inclusão desses santos nos altares da igreja;

6. Em seguida, o papa lê um texto em latim, que torna os beatos oficialmente santos. Esta é a fórmula que pode ser usada, segundo o Vaticano;

7. Uma música de canto gregoriano é cantada para celebrar;

8. O cardeal prefeito pede que o papa faça uma “carta apostólica”, documento que formaliza a canonização;

9. A partir daí, a missa continua normalmente até o cântico final;

10. Está prevista que, após a missa, o Papa Francisco reze, como em todos os domingos, a Oração do Ângelus, ou oração do meio-dia.

Santa Dulce dos Pobres

A partir deste domingo após a cerimônia de canonização, Irmã Dulce passará a ser chamada como Santa Dulce dos Pobres. A primeira Santa Brasileira já terá uma paróquia e um santuário em Salvador, cidade onde viveu, serviu aos mais necessitados e construiu o Hospital Santo Antônio, atualmente o maior complexo de saúde do nordeste.

Foto: G1

A Paróquia Santa Dulce dos Pobres será formada por sete comunidades e a matriz será a atual Capela Santíssima Trindade. A criação será após a missa de canonização. O bispo auxiliar da Arquidiocese de Salvador, Dom Estevam dos Santos Silva Filho, que fará a leitura do Decreto.

Ainda no dia da canonização será criado o Santuário Santa Dulce dos Pobres. O templo, que era dedicado à Imaculada Conceição da Mãe de Deus, abriga restos mortais da futura santa. A leitura do decreto será feita pelo bispo auxiliar Dom Marco Eugênio Galrão Leite de Almeida durante missa.

Milagres da Santa

Dois milagres certificam a sua santidade e contribuíram para o início do processo de canonização. O primeiro, levou à sua beatificação em 2001, nove anos após sua morte. Uma mulher teve uma hemorragia no pós-parto e após pedir a intercessão de Irmã Dulce, se recuperou. O segundo, é o do maestro José Maurício Moreira, de Salvador, que tem glaucoma e voltou a enxergar após 14 anos depois de rogar para que Irmã Dulce o ajudasse a curar a dor provocada por uma conjuntivite.

Missa na Fonte Nova

Em Salvador, uma missa em celebração pela canonização de Irmã Dulce será realizada no próximo domingo, dia 20 de outubro, a partir das 12h30, na Arena Fonte Nova. De acordo com as Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), a expectativa é de reunir 55 mil pessoas.

A programação cultural e religiosa do evento contará com apresentações musicais, espetáculo teatral e missa presidida pelo Arcebispo Dom Murilo Krieger. Entre as atrações, está a encenação do espetáculo “Império de Amor”. A peça vai levar ao palco 550 crianças e adolescentes do Centro Educacional Santo Antônio (CESA) da Osid, além de idosos da instituição.

Atualiza Bahia

Foto principal: OSID

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *