Dicas de segurança para o São João: cuidados com fogos e queimaduras

Foto: Freepik

Durante o São João, além das comidas típicas e da música, as tradições de fogos de artifício e fogueiras ainda são muito presentes. Para aproveitar a festa com segurança, é essencial priorizar a prevenção. O presidente da Liga de Feridas e Curativos da Unijorge (LAFEC), Jackson Mendes, explica que neste período, as queimaduras são lesões comuns, variando de 1º, 2º até 3º grau, afetando desde a camada superficial da pele até músculos e ossos. “A pele não apenas protege o corpo humano, mas também regula sua temperatura, colocando as pessoas em risco de infecção e hipotermia”, diz.

Para quem aprecia montar fogueiras, a recomendação é acendê-las em locais afastados, longe de fios de energia e materiais inflamáveis. Quanto aos fogos, a indicação é que sejam adquiridos apenas em comércios autorizados e licenciados, assegurando a segurança desde a fabricação. A presidente da Liga de Emergências Clínicas e Traumáticas da Unijorge, Emily Nobre, ressalta outros cuidados. “Não manusear fogos de artifício após o consumo de bebidas alcoólicas e  as crianças devem sempre ser supervisionadas por adultos ao lidar com fogos, nunca deixando que usem sozinhas”.

Mesmo com todas as precauções, se houver um acidente com queimaduras, é crucial agir imediatamente, como esclarece a professora de Enfermagem da instituição, Carina Estrela. “É necessário retirar a pessoa da fonte de calor que causou a queimadura e colocar a área queimada sob água fria corrente por, pelo menos, 10 a 20 minutos”.  A professora recomenda ainda cobrir a queimadura com um pano limpo que não grude na ferida ou um pano limpo e úmido. “Mantenha a pessoa hidratada e encaminhe para uma unidade de pronto-socorro ou pronto-atendimento para avaliação médica e curativo adequado”, completa a profissional.

Outro ponto no caso de queimaduras é evitar erros que são muito disseminados, mas que podem aumentar a lesão e causar infecções. Entre os mais comuns, a professora destaca: colocar gelo direto na pele queimada, pois em contato com a pele, o gelo queima e provoca mais danos ao tecido; usar produtos não indicados, como pasta de dente e manteiga no local atingido; colocar pano seco na queimadura e não lavar as mãos antes de tratar, pois o curativo tem que ser feito de maneira estéril. Também não se deve estourar as bolhas ou flictenas, esse procedimento deve ser realizado apenas por um profissional de saúde, para evitar infecções.

“Quando ocorre uma queimadura que afeta áreas sensíveis como rosto, mãos, órgãos genitais ou articulações, e é grave ao ponto de comprometer a percepção cognitiva ou o nível de consciência da pessoa, é fundamental agir rapidamente e buscar assistência médica imediata. Também é essencial observar atentamente por sinais de possível infecção, como rubor intenso, edema, febre ou presença de pus”, alerta a especialista.

Isabele Borges

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close