Você tem o hábito de roer unhas?




Por Bem Estar

Se você respondeu “SIM” a esta pergunta, saiba que não está sozinho neste mundo. Estudos apontam que aproximadamente 30% da população mundial têm o hábito de roer unhas. Isso significa que mais ou menos 2,2 bilhões de pessoas roem as próprias unhas.Muitas pesquisas e teorias psicanalíticas tentam explicar a causa deste hábito que, social e/ou esteticamente, não é muito bem aceito.

Existe a hipótese de que haja um forte componente genético, posto que 1/3 dos familiares das pessoas que roem unhas também o fazem. Este hábito é, inclusive, muito comum entre gêmeos. Mas não há, ainda, nenhuma comprovação científica a este respeito.

Tenta-se também definir as características psicoemocionais de quem costuma roer as unhas. Pode ser uma manifestação de grande ansiedade ou medo, insegurança, fome, timidez ou tédio. Muitos começam a roer as unhas quando estão concentrados  em uma  atividade e/ou quando tem que realizar uma tarefa difícil.

Há quem diga que o hábito de roer as unhas tem efeito relaxante e, portanto, serve para descarregar tensões.

Um estudo recente publicado em uma importante revista de psiquiatria apontou que, na linha oposta do que se imagina, o que move a onicofagia ( que é o hábito de roer as unhas) não é a tensão ou ansiedade e sim uma personalidade perfeccionista. Segundo o estudo, portanto,  quem tem o hábito de roer as unhas são em geral pessoas  perfeccionistas.

Unhas são as nossas “garras”. Animais utilizam as garras para se defender. Portanto, alguns estudiosos consideram que roer unhas é uma forma de auto repressão.

Fato é que ainda são necessários mais estudos para entender as razões pelas quais as pessoas roem as próprias unhas e muitas vezes arrancam as cutículas ou a pele ao redor das unhas com os dentes, causando uma situação clínica conhecida como paroníquia crônica que, por sua vez, caracteriza-se por vermelhidão, inchaço e infecção ao redor dos dedos. Importante saber que a paroníquia crônica  pode efetivamente  prejudicar o crescimento saudável das unhas, tornando a aparência das mãos esteticamente questionável.

Como parar de roer unhas?

Esta é a grande questão. Pode parecer óbvio mas o primeiro passo é efetivamente querer parar. Esta é a decisão mais difícil, que pode, inclusive, necessitar da ajuda profissional de um terapeuta para ser concretizada.

Depois deste grande passo, há inúmeros artefatos que podem ajudar: mascar chiclete, passar esmaltes com substâncias amargas, colocar unhas postiças, arrumar alguns objetos como bolinhas de borracha, por exemplo, para manter as mãos em movimento ou pintar as unhas e passar a ter por elas um cuidado muito especial.

Decidir – com firmeza- parar um hábito que incomoda é o primeiro e muitas vezes o único passo que precisa ser dado. Mas como é difícil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *