Verão 2019: Como usar ventilador e ar condicionado na estação mais quente do an

 

por Maria Del Carmen

No verão existem várias alternativas para minimizar o calor, dentre elas o ar condicionado e o ventilador. Mas os aparelhos domésticos, em geral, precisam ser limpos a cada seis meses, dependendo de como e quando são utilizados. Apesar do verão não ser o período em que as doenças respiratórias crônicas se agravam, o acúmulo de pó, umidade e mofo também podem ser fatores que pioram as doenças respiratórias no verão. A pneumologista Larissa Voss Sadigursky explica os benefícios e malefícios do ar condicionado e do ventilador para a saúde.

 

Segundo Dra. Larissa, o uso do ar condicionado não gera problemas de saúde, porém pode afetar principalmente as pessoas que possuem alguma doença respiratória. “Para pessoas com asma, bronquite e rinite alérgica, o uso do ar condicionado pode provocar o ressecamento do ar e isso acaba irritando a mucosa dessas pessoas que é mais sensível e reage de maneira exagerada a pequenos estímulos, ocasionando crises respiratórias”, afirma.

 

A pessoa que possui doença respiratória, ao usar o ar condicionado, pode ter tosse, chiado no peito, falta de ar e outros sintomas, principalmente à noite. “Os portadores de asma e DPOC não devem deixar o seu tratamento regular mesmo durante o verão para que a sua doença esteja sempre sob controle e não ocorram crises”, completa a especialista.

 

Já o ventilador provoca o vento, fazendo circular um maior número de partículas. O seu uso em espaços empoeirados pode gerar espirro, coriza, obstrução nasal. “Se o ambiente não for um espaço bem limpo, a facilidade de circular mais poeira, mofos e ácaros causando sintomas no paciente que tem rinite alérgica, asma ou bronquite, por exemplo, é maior. Se cuidarmos bem da limpeza, o ventilador e o ar condicionado não farão mal algum para nossa saúde”, pontua.

 

O aparelho de ar condicionado deve ter uma manutenção adequada e os seus filtros devem ser alvos de limpeza regularmente. Deve-se também sempre observar a manutenção, frequência e intensidade de funcionamento do aparelho. A temperatura ideal vai de 20 a 22º C, e o vento não deve ficar sobre a pessoa, pois as bruscas variações de temperatura afetam principalmente quem possui rinite, asma ou DPOC. “A entrada e saída de ambientes mais quentes para mais frios, e vice-versa, podem ser fatores de desconforto ou de desencadeamento de crises nessas pessoas”, destaca Dra. Larissa Voss Sadigursky.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com
Close