Três pessoas são indiciadas pela polícia por acidente que deixou 19 mortos na Bahia




A Polícia Civil indiciou o proprietário, o engenheiro da empresa CL Transporte Marítimo, e o comandante da embarcação Cavalo Marinho I pelo acidente que deixou 19 mortos, em 24 de agosto de 2017, na travessia Mar Grande – Salvador. Os três foram indiciados por homicídio culposo (quando não há a intenção de matar), e lesão corporal culposa.

O acidente, segundo um inquérito divulgado pela Marinha no final de janeiro, foi ocasionado por séries de negligências e imprudências. De acordo com o delegado Ricardo Amorim, titular da 24ª Delegacia de Vera Cruz, as investigações civis apontam que o dono da empresa, Lívio Garcia, teria instalado pesos extras na lancha, o que acabou causando a instabilidade da embarcação durante a navegação.

Segundo o G1, Ricardo ainda informou que o engenheiro naval que avaliou a embarcação, identificado como Henrique José, teve culpa imputada por ter feito cálculos errados sobre a lancha durante a avaliação. Já o comandante da embarcação, Osvaldo Barreto, também teve culpa por ter usado a lancha mesmo sabendo que era instável e ainda ter seguido com ela por uma rota que não era segura.

O inquérito foi encaminhado para o Ministério Público da Bahia (MP-BA), na última terça-feira (10). O órgão irá definir se oferecerá ou não a denúncia à Justiça.

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *