Técnica de enfermagem que morreu por Covid-19 sentiu primeiros sintomas quando marido estava em UTI com doença

A técnica de enfermagem Sônia Maria Silva Barreto, de 54 anos, uma dos 326 pacientes que morreram após serem infectados pela Covid-19, sentiu os primeiros sintomas da doença enquanto o marido, que também foi contaminado, estava internado no Hospital Santa Izabel, em Salvador.

Sônia Barreto, que trabalhava há 30 anos como enfermeira e era funcionária pública há 14, estava em tratamento desde o diagnóstico e morreu no sábado (16), no Hospital Santa Izabel, unidade particular de saúde em Salvador, devido ao agravamento do estado de saúde.

Quatro dias após a morte da tia, Lidinei Silva, conhecida como Line, lembra com carinho da pessoa que ela definiu como “mãezona” e responsável pela alegria da família.

“Uma pessoa muito alegre, muito querida, quando ela chegava em festas dos amigos e da família era uma alegria, todo mundo dava risada, ela fazia ‘palhaçada’, fazia comida e bebia. Gostava de se alegrar. Ninguém ficava triste com ela e era da mesma forma no trabalho”, disse Line, emocionada.

Sônia Maria e o filho  — Foto: Arquivo Pessoal

Sônia Maria e o filho — Foto: Arquivo Pessoal

Sônia Maria Silva Barreto atuava na Comunidade de Atendimento Socioeducativo (Case) de Salvador, por meio da Fundação José Silveira e também no Hospital Geral do Estado (HGE).

Segundo a sobrinha da técnica, Sônia tinha muito medo de que o esposo, que tem 45 anos, morresse. O marido dela ficou internado por 22 dias em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e se recupera em casa.

“Ela estava muito temerosa, com muito medo do marido morrer. Ela sempre falava: ‘Line, ele vai sair dessa, eu creio em Jesus que ele vai sair dessa’. Algumas colegas dela ligavam e diziam que estavam com sintomas e você percebia que ela tinha muito medo do marido morrer”, lembrou a sobrinha. *G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *