Red Bull lança carro para 2019, com pintura totalmente nova e motor Honda

por Folhapress

Uma das equipes que mais geram expectativa para a temporada 2019 da Fórmula 1, a Red Bull revelou seu carro nesta quarta-feira (13). E, assim como a Mercedes, já colocou o novo modelo na pista, em um teste para checar os sistemas do carro realizado no circuito de Silverstone, na Inglaterra.

Logo no lançamento, o carro já chamou a atenção pela pintura diferente e pelo bico bastante trabalhado e sidepods inovadores, com aberturas bem altas e menores que os demais carros.

Em relação à pintura, contudo, a Red Bull disse que ela era “única”, deixando em aberto se ela só será usada durante os testes de pré-temporada. Algo que o time já fez no passado.

Depois de ver Daniel Ricciardo se transferir para a Renault, a Red Bull terá o francês Pierre Gasly, de 23 anos, ao lado de Max Verstappen, de 21, formando a segunda dupla mais jovem do grid, atrás da McLaren, que tem Carlos Sainz (24) e Lando Norris (19).

A grande novidade do time, contudo, está debaixo da carenagem: a Red Bull trocou a Renault pela Honda, e tem se mostrado muito confiante com a evolução dos japoneses desde o ano passado, quando eles passaram a equipar a Toro Rosso, time satélite da própria Red Bull.

O motor é visto como um grande entrave para o time tetracampeão entre 2010 e 2013 voltar a lutar por títulos, o que não ocorre justamente depois da troca dos V8, cujo desenvolvimento era congelado, pelos V6 turbo híbridos.

Na avaliação da direção da Red Bull, é fundamental ser uma equipe de fábrica ou com esse tipo de tratamento para encarar Mercedes e Ferrari e, por conta disso, o time acabou com a longa parceria com a Renault e apostou nos japoneses, mesmo que eles tenham sofrido especialmente nas três primeiras temporadas, com a McLaren.

Do lado aerodinâmico, por sua vez, o time tem motivos para demonstrar confiança, já que, nos últimos anos, sempre foi forte em pistas nas quais o motor não falava tão alto, como Mônaco. O fato desta temporada apresentar um novo regulamento também pode ser um fator positivo, embora a Red Bull seja uma das equipes que mais tiveram que mudar a filosofia do carro para incorporar as mudanças.

Em 2019, os carros terão asas mais largas, altas e simples, a fim de “limpar” o ar e ajudá-los a seguir rivais de mais perto, criando mais chances de ultrapassagens.

Na asa dianteira, a largura e altura aumentaram em 20 cm, e ela estará 25 cm mais à frente que em 2018. Já a asa traseira “sobe” 2 cm, tem aumento de 10 cm de largura, e a abertura do DRS ganha também 2 cm, aumentando seu potencial em cerca de 25%.

Outra mudança importante é o aumento do limite de combustível de 105 kg para 110 kg, permitindo que os pilotos forcem mais durante as corridas.

Seis das 10 equipes no grid já mostraram seus carros ou novas pinturas. Ainda nesta quarta, a Racing Point (ex-Force India) fará seu lançamento. Na quinta (14), a McLaren vai lançar seu carro e, na sexta (15), será a vez da Ferrari.

A última equipe fazer o lançamento será a Alfa Romeo (ex-Sauber), na próxima segunda-feira (18), já no palco dos testes da pré-temporada, no Circuito da Catalunha, Espanha. Serão duas baterias de quatro dias de testes cada antes do começo da temporada, dia 17 de março, na Austrália.

Foto: F-1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *