Mulheres de Valença revelam os desafios do empreendedorismo feminino




Preconceito e gestão do negócio estão entre os desafios

Branca (no meio) e integrantes da Comafes trabalham no Espaço Solidário, no centro de Valença – Foto: Joberth Melo/Atualiza Bahia

Por Joberth Melo | Atualiza Bahia

As mulheres viviam à margem da sociedade. Antigamente, só exerciam o trabalho doméstico. Através de lutas, ao longo dos anos, algumas conquistas foram alcançadas. Atualmente, encontramos mulheres trabalhando em diversas áreas e outras comandando o próprio negócio. Um levantamento do Serasa Experian apontou que quase 5,7 milhões de mulheres são empreendedoras no Brasil.

Em Valença, no baixo sul da Bahia, também é possível observar as mulheres no campo do empreendedorismo. Elas estão mais presentes nas áreas de alimentação e roupas. Apesar do espaço conquistado, as mulheres enfrentam desafios.

A presidente da Cooperativa das Mulheres da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Coomafes) de Valença, Maria Joselita da Costa, apontou o preconceito contra a mulher como um desafio quando se pensou na criação da cooperativa. “A sociedade diz que a mulher não pode e a gente criou uma instituição somente de mulheres. Isso foi uma quebra [do preconceito]. Mostrar que somos capazes de produzir e comercializar”. Outro problema encontrado por Branca, como é popularmente conhecida, é não entender o real sentido do cooperativismo.

A Coomafes foi formada com o intuito de reunir as produções das mulheres e padronizá-los. Assim, possibilitando um aumento na comercialização dos produtos produzidos.

De acordo com a gestora da Lanchonete do Povo, Filomena Damasceno, além do preconceito há também problemas com facilitamento de crédito pelos bancos por “muitas vezes não acreditarem no trabalho da mulher”. Esse problema não ocorre na cooperativa. “Por sermos da Agricultura Familiar, temos acesso a linhas de créditos. A Ascoob é uma cooperativa de crédito que está mais próxima da gente. E o que precisamos, eles estão muito atentos às nossas necessidades”, afirmou a presidente da Coomafes.

Segundo ela, a gestão é um problema enfrentado após a implantação da cooperativa, mas que têm procurado cursos e palestras para a capacitação das mulheres neste campo do empreendedorismo.

Funcionamento

A Lanchonete do Povo funciona exceto aos domingos. Localizada próximo ao hospital da cidade, ela recebe clientes da zona urbana e rural de Valença e também de outros municípios. Juntamente com Filomena trabalham mais três pessoas.

A Coomafes conta com diversos espaços de funcionamento. A cooperativa é responsável pela gestão da cantina solidária da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), em Valença. As mulheres também têm seus produtos expostos em uma loja do Salvador Shopping, na capital baiana, e às sextas-feiras em uma feira realizada no prédio em que funcionou o Colégio Lomanto Júnior, em Valença.

A gestão do Espaço Solidário, no centro de Valença, também é de responsabilidade das mulheres. Criado pela Superintendência de Economia Solidária do Estado, o espaço conta com os diversos produtos produzidos pelas cooperadas. Branca e mais quatro mulheres trabalham no espaço, que funciona de segunda à sábado.

A expectativa é que os produtos alcancem mais espaços. “Esse ano venderemos para o município de Valença. Nossos produtos estarão incluídos na merenda escolar. Estamos participando também de chamadas públicas em outros municípios”, afirma a presidente da cooperativa.

Apoio

Conforme Branca, as 53 cooperadas na Coomafes e as demais que participam das atividades conseguiram o apoio familiar após a realização de palestras, encontros e visitas às famílias para enfatizar o papel delas na cooperativa.

O incentivo familiar ocorre também com Filomena Damasceno. O esposo e a filha trabalham diariamente na lanchonete. “Quando trabalhamos em família nos esforçamos mais. Com apoio da família tudo se torna mais fácil e o resultado é bem melhor”.

Apesar dos apoios, a empresária orienta que os desafios acontecerão e é “necessário persistir”. “Nós conquistamos nosso espaço, estamos nos impondo e temos nossos sonhos. Quando encontrarmos algum empecilho não devemos desistir”.

Atualiza Bahia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *