Mais próximo dos velhos erros que das soluções, Bahia mostra que Mano vai ter trabalho

Com pouco tempo para ajustes e um time em má fase, o técnico Mano Menezes estreou à frente do Bahia com mudanças de peças na equipe titular e até de sistema tático. Mas a derrota por 1 a 0 para o Atlético-GO, na noite deste domingo, mostrou que vai ser preciso fazer mais para o grupo saltar de nível de atuação e reencontrar o caminho das vitórias, que já dura sete jogos.

Mano desenhou o seu primeiro time titular no Bahia com novidades. As principais ficaram por conta das entradas de Jadson, com quem trabalhou no Cruzeiro, e Clayson. Daniel, que tinha iniciado os últimos quatro jogos, ficou no banco de reservas. Na entrevista antes do jogo, Mano Menezes disse que a ideia era ter uma equipe equilibrada. Mas a imagem deixada pelo time no jogo foi ruim.

Mano Menezes iniciou o jogo com o Bahia no 4-1-4-1, com Ronaldo como primeiro volante, Rodriguinho e Jadson no meio, Clayson e Élber nas pontas e Gilberto à frente. No primeiro tempo, a equipe com postura reativa, portanto de menos posse de bola (45% a 55%), penou para aproveitar os contra-ataques e só finalizou 5 vezes contra 12 do adversário.

O Bahia encontrou espaço na transição, mas na chegada ao campo de ataque não se mostrou em sintonia, tampouco acertou nos gestos técnicos necessários para criar oportunidades. Ainda teve trabalho na saída de bola quando o Dragão adiantou a marcação. Tanto que deu para ouvir Mano gritar para os jogadores que a bola estava voltando seguidas vezes para os zagueiros.

Na defesa, viu o Atlético-GO ser mais perigoso e criar chances até Jean marcar o gol em rebote de cobrança de falta.

Gol do Atlético-GO! Jean cobra falta, bola bate na barreira e, na sobra, o goleiro abre o placar, aos 39′ do 1° tempo

– Nós iniciamos o jogo com tripé no meio-campo, com Jadson um pouquinho mais à frente de Ronaldo, quase lado a lado com Rodriguinho. Para deixar as jogadas no flanco para Élber e Clayson. A equipe encontrou alguns caminhos com essa formação. Bahia já havia jogado muitos jogos assim. Características dos jogadores diferentes, mas disposição tática muito semelhante. Acho que Jadson fez duas ou três passagens boas pela direita. Mas estamos numa fase que nossas escolhas, talvez pela pressão, pelo momento, não estão boas – avaliou Mano Menezes após o jogo.

Não demorou para Mano mexer no time no segundo tempo. Com 11 minutos, o treinador sacou a dupla que foi novidade na partida (Clayson e Jadson), mas que novamente ficou devendo. Com 30 minutos, o treinador já tinha feito todas as mudanças, e nenhuma mudou o panorama da partida. O Bahia adiantou a marcação e teve mais posse de bola. Só que não conseguiu transformar isso em chances de gols. *GE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com
Close