Festa de Iemanjá é reconhecida como Patrimônio Cultural de Salvador

A tradicional Festa de Iemanjá, celebrada no dia 2 de fevereiro, foi reconhecida como patrimônio cultural de Salvador, durante ato solene realizado na manhã deste sábado (1º), na Colônia de Pescadores do bairro do Rio Vermelho.

O cortejo realizado no meio do mar do Rio Vermelho, com várias embarcações, para a entrega dos presentes a Iemanjá, vem sendo promovida pelos pescadores de Salvador desde a década de 1920.

Com o reconhecimento da prefeitura, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM), um plano de salvaguarda será desenvolvido, com a finalidade de promover ações de apoio para que os saberes e fazeres ligados à manifestação sejam preservados e transmitidos. Segundo a prefeitura, o plano será elaborado com os pescadores, responsáveis pelo presente de Iemanjá, e tem por objetivo buscar um coletivo deliberativo, com representantes de detentores e produtores, para implementar as ações.

De acordo com o presidente da FGM, Fernando Guerreiro, a entidade recebeu a solicitação do reconhecimento da festa pela OAB. Posteriormente, o Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural aprovou, o prefeito ACM Neto assinou e a manifestação foi reconhecida como Patrimônio Cultural de Salvador.

Para a diretora de Patrimônio e Humanidades da FGM, Milena Tavares, o ritual reforça a fé no culto afro-brasileiro e alcança espaço no calendário, reunindo pessoas de todas as partes do mundo, reforçando os laços de pertencimento com o mar do Rio Vermelho e sua história.

“O registro protege a manifestação na medida em que garante o compromisso de apoio, divulgação e a produção de conhecimento e documentação acerca da manifestação”, assinala. *G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *