Evento gratuito debate a comunicação entre pais e filhos

Diálogo é um caminho para manter a aproximação com as crianças e jovens, auxiliando na prevenção e detecção de transtornos mentais

Apesar de ser uma das formas mais eficazes para solucionar problemas e aproximar pessoas, o diálogo nem sempre é tratado com a importância devida. Especialmente no caso de crianças e jovens, manter um ambiente aberto para todo tipo de conversa pode ser um importante instrumento para prevenir problemas associados à saúde mental, pois esse público é muito sensível às mudanças características dessa fase da vida. Para colaborar na tarefa – nem sempre fácil – da comunicação entre pais e filhos, a Holiste Psiquiatria promove mais uma edição do Conversa com os Pais, evento que tem entrada gratuita e visa a debater temas associados à infância e à juventude.

Conforme dados da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), problemas relacionados à saúde mental são responsáveis por 16% da carga global de doenças e lesões em pessoas com idade entre 10 e 19 anos. Os sintomas aparecem principalmente aos 14 anos, mas a maioria dos casos, ainda segundo a Opas, não é detectada e tratada, o que pode se agravar na fase adulta. Isso intensifica a importância dos pais estarem atentos e abertos a conversar com seus filhos, valorizando suas questões e observando sinais de que algo pode não estar bem.

“Existem formas distintas de manifestação da angústia e do sofrimento, desde comportamentos como ansiedade, agressividade e isolamento, até transtornos mais severos, como TDAH, anorexia, autismo, depressão e tentativas de suicídio.  É um período no qual muitas questões aparecem e, às vezes, as crianças não conseguem lidar com isso sozinhas. Até mesmo os pais não dão conta de dar o suporte adequado, sendo necessária a ajuda de um profissional”, explica Daniela Araújo, psicóloga e coordenadora do Núcleo Infantojuvenil da Holiste.

Entender a individualidade da criança ou do adolescente, mesmo em uma fase onde a personalidade está em formação, é um desafio. Daniela alerta que crianças muito agitadas e inquietas podem, por exemplo, ser precipitadamente taxadas de hiperativas.

“Há uma determinada fase da criança em que é importante querer experimentar tudo ao seu redor. Ela não senta porque quer brincar, não se alimenta porque a brincadeira é mais interessante. Isso faz parte do desenvolvimento normal e natural; o que precisamos ficar atentos é quando esse comportamento sai do controle e causa prejuízos ou sofrimento à criança.  É preciso dar tempo para as coisas se acomodarem e, acima de tudo, entender e respeitar a individualidade de cada um”, detalha Itatiara Xavier, terapeuta ocupacional.

Da fala às outras formas de comunicação

O Conversa com os pais traz três palestras, de diferentes profissionais, trazendo pontos de vista diferentes sobre a questão da comunicação com a criança e com o adolescente.

“Desenvolvimento da Fala: como identificar alterações”, é o tema que será tratado pela fonoaudióloga Giciane Reis. Já Itatiara Xavier aborda “A importância da organização da rotina na comunicação”. Por fim, “A arte como via de expressão” será o assunto da palestra da arterapeuta Élia Cardoso.

“A arte transforma de maneiras tão inusitadas que, por vezes, aparecem coisas totalmente inesperadas. A arteterapia é um recurso terapêutico que possibilita estabelecer um canal de expressão e comunicação natural, espontâneo e lúdico, características importantes no trabalho com o público jovem”, define Élia Cardoso.

O encontro ocorre no dia 27 de abril, às 9h, no auditório da Holiste Psiquiatria, em Salvador. As inscrições devem ser realizadas pelo site conversa.holiste.com.br, pois as vagas são limitadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com