Estudantes de Vitória da Conquista e Jequié conquistam prêmios nacionais na Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente

 

A Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (OBSMA), promovida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), realizou, nesta quinta-feira (22), a cerimônia virtual de premiação da sua 10ª edição. Três projetos desenvolvidos por estudantes da rede estadual de ensino foram premiados nacionalmente em diferentes categorias. O principal prêmio, o de Destaque Nacional, foi conquistado pelo projeto “Geografia na fotografia e na poesia”, do Colégio Polivalente de Vitória da Conquista, no anexo do Pradoso. Já o Colégio Estadual Maria José de Lima Silveira, em Jequié, levou o prêmio “Menina hoje, cientista amanhã” e o Prêmio Especial com dois projetos sobre gravidez na adolescência.

 

O projeto “Geografia na fotografia e na poesia”, orientado pela professora Ivana Lima, com o envolvimento de 110 estudantes, permitiu que o registro fotográfico, associado à leitura das imagens, ampliasse os  conhecimentos geográficos e ambientais dos alunos, além de evidenciar os sentimentos de afeição e pertencimento dos estudantes às comunidades onde vivem. Músicas de Elomar Figueira e poesias de Manoel de Barros favoreceram a inspiração para os registros fotográficos e a leitura das imagens, propiciando  um processo de associação, interação e reflexão de conteúdos da ciência geográfica.

 

A professora Ivana Lima, com 17 anos de magistério, falou da emoção pelo prêmio nacional. “Ser contemplada com premiação regional e agora com a nacional é maravilhoso. Estou emocionada. Existem inúmeras possibilidades para trabalharmos de forma crítica e reflexiva, despertando nos estudantes  a curiosidade, a investigação  e a pesquisa”, afirmou a professora.

 

A estudante Maieve Santos Barreto, de 18 anos, conta que o momento foi especial e propiciou uma emoção inesquecível. “Amei participar do projeto. É gratificante saber que podemos fazer a diferença. Acredito que, através da pesquisa, a escola e alguns alunos serão reconhecidos e vão incentivar outros estudantes a serem também pesquisadores”, afirmou.

 

A emoção também marcou esta data para as professoras Idália Lino dos Santos e Elinalva Meneses dos Reis, do Colégio Estadual Maria José de Lima Silveira, em Jequié,  que orientaram os projetos “Gravidez na adolescência: a construção de um olhar”, e “Gravidez na adolescência”, respectivamente, sendo que este último foi desenvolvido pelas estudantes Brenas Argolo e Bruna Oliveira. Os projetos cumpriram o objetivo da premiação, que visa fomentar o debate sobre gênero e ciência e incentivar meninas a construírem carreiras científicas.

 

A coordenadora do Programa Bahia Olímpiada, da Secretaria da Educação do Estado (SEC), Shirley Costa, lembrou que a secretaria mobiliza a comunidade estudantil durante todo o ano para as diversas olimpíadas do conhecimento e falou sobre a importância do prêmio. “A premiação revela o envolvimento e o compromisso da Bahia por meio de programas, como o Bahia Olímpica, e com a formação integral dos estudantes para uma participação ativa na sociedade. Os estudantes baianos demonstram autonomia na busca por novas aprendizagens, além do envolvimento com as questões de saúde e meio ambiente a nível nacional, fomentando, assim, um olhar ampliado acerca do conhecimento, que é fundamental para a formação intelectual”.

 

Para Marilda de Souza Gonçalves, professora da Faculdade de Farmácia da UFBA e pesquisadora e diretora do Instituto Gonçalo Moniz, da Fiocruz Bahia, os projetos da rede estadual se destacaram pela criatividade e qualidade. “A Secretaria da Educação do Estado está de parabéns pela qualidade dos projetos selecionados, pelo entusiasmo e pela motivação demonstrados por cada um dos seus participantes, tendo em vista o momento tão difícil que estamos enfrentando, o da pandemia da Covid-19”.

 

Outros projetos também se destacaram e conquistaram premiações no âmbito regional. São eles: “Incêndios florestais no município de Rio de Contas”, orientado pelos professores Dilcileia Anjos Santos, Jéssica Ferreira da Silva, Sara Pau Ferro, Flor Violeta Liberato Bartilotti e André Lima Reis, do Colégio Estadual Carlos Souto Local, em  Rio das Contas; na categoria Produção Audiovisual; “Roteiro de história em quadrinhos oxy: A garota ácido úrico”, orientado pela professora Karine Brandão Nunes Brasil, do Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Vitória da Conquista; na categoria Produção de Texto; e o projeto de Ciências “#partiuE-lixo”, orientado pelos professores Elimar de Sousa Fadigas Carneiro, Patrícia Azevedo Cerqueira Peixoto e Thiago de Carvalho Cunha, do Colégio Estadual Helena Assis Suzart, de Feira de Santana.

 

Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com
Close