Ergonomia e Retomada das Atividades

Fisioterapeuta destaca a necessidade de maior atenção para evitar lesões aos colaboradores

Com o processo de retomada de algumas atividades comerciais, parte da população voltou à sua rotina de trabalho e, consequentemente, a ficar durante o dia um longo período fora de casa. De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), os brasileiros passam cerca de 8 horas do dia nos seus empregos, o que chega a uma carga de 44 horas semanais. Devido à pandemia, algumas empresas estão operando com o quadro de funcionários reduzido, o que acaba gerando uma sobrecarga no ambiente de trabalho.

A implantação da ergonomia física – estudo da relação que existe entre o homem e a forma como ele executa seu trabalho – passa a ser uma grande aliada das instituições neste momento, visto que, consegue tornar as funções laborais mais confortáveis e produtivas. A fisioterapeuta do Sistema Hapvida, Marcela Mattos, explica que diante do novo cenário social, diversas condutas relacionadas à prevenção de lesões e patologias devem ser adotadas.

“A ergonomia baseia-se na tríade conforto, segurança e eficiência, sendo ela uma das melhores ferramentas utilizadas na prevenção das doenças ocupacionais, conhecidas como LER – Lesões por Esforços Repetitivos e DORT’s – Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho”, afirma a especialista. Geralmente, as funções laborais são executadas com o profissional sentado muito tempo em frente a um computador, ou horas em pé, o que pode comprometer a saúde e o rendimento no serviço.

Dentre os problemas mais comuns decorrentes de passar muito tempo em pé ou sentado estão: as dores na coluna, principalmente lombar e cervical; dores articulares (joelho e quadril), dor irradiada para membros inferiores, sensação de peso e inchaço nas pernas por alterações circulatórias. Além destes, algumas patologias podem ser desenvolvidas no ambiente de trabalho por conta de movimentos repetitivos ou de posturas inadequadas ao longo do dia. Entre as principais se destacam: as artrites, tendinites, bursites, hérnias de disco, osteófitos na coluna (conhecido como “bico de papagaio”) e escoliose.

A fisioterapeuta acredita que a boa postura corporal e algumas ações práticas inseridas no dia a dia ajudam a manter a integridade física e mental de todo e qualquer profissional. “Além dos ajustes simples como altura da cadeira, altura da mesa e do monitor, apoios para coluna e braços, distância entre os objetos mais utilizados, ajustes nos maquinários e modificações do layout do posto, inclusão de pausas durante o período de trabalho e até mesmo adotar o sistema de rodízio de postos são outras formas de tornar o ambiente de trabalho mais saudável e produtivo”, finaliza Marcela. *Hapvida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com
Close