Em visita a aldeia Tupinambá, Governo da Bahia dialoga sobre políticas públicas indígenas

 

A Aldeia Serra do Padeiro dos Povos Tupinambás, localizada no município de Buerarema, no Litoral Sul da Bahia, recebeu a visita do Superintendente de Direitos Humanos da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), Jones Carvalho. A visita, ocorrida na terça-feira (27), foi guiada pelo Cacique Babau que, além de mostrar a forma de vida do seu povo, também proporcionou um encontro entre o superintendente e grupos de juventude, mulheres, saúde e agricultores para discutir políticas públicas indígenas nestes segmentos.

 

Dentro do território Tupinambá há 40 serras e, entre elas, a matriarca Serra do Padeiro. Nela, vivem 218 famílias indígenas, que trabalham na produção de gado, hortaliças, cacau, farinha, entre outros, tudo para manter o próprio sustento.

 

“Somos um povo aguerrido e que preza pelo trabalho coletivo. Produzimos nossos alimentos, cultivamos nossa terra e atuamos para que jovens e mulheres, especialmente, tenham um futuro melhor dentro do lugar onde nasceram. Por isso, é muito importante para o nosso povo que debates sobre políticas sociais de afirmação da nossa cultura seja também uma prioridade do Estado”, afirmou Babau.

 

Durante o diálogo com a comunidade, o líder da juventude Bruno, de 18 anos, afirmou que a resistência jovem na Serra do Padeiro é fundamental para o acesso às universidades, para a conquista de direitos de seus povos e a continuidade de uma cultura secular. “Somos preparados para o mundo, somos a força de um futuro de todo um povo. Queremos e necessitamos de apoio para fortalecer nossas ideias e ações”, disse o jovem, que está preparando um seminário cultural para a juventude indígena de todo o território Tupinambá.

 

O superintendente, acompanhado de Jerry Matalawê, coordenador de Políticas para os Povos Indígenas da SJDHDS, dialogou com a comunidade de Babau e afirmou o compromisso do Governo da Bahia com os indígenas e com o garantia dos direitos desse povo.

 

“Nessas terras tem um processo coletivo de construção e de apropriação do que vocês mesmo produzem. Os povos indígenas são foco de ataques e desmontes, por isso, fico muito feliz em saber que a juventude da Serra do Padeiro tenha consciência disso e defenda essa cultura, esse modo de vida que preza pela relação humana e com a natureza”, disse Jones Carvalho.

 

O superintendente ainda elogiou a iniciativa de fazer um seminário para discutir políticas de juventude indígena. “É extraordinário, vocês podem ser a voz da juventude no Estado, mostrar caminhos diferenciados e ser referência”, finalizou.

 

Imagem: Juliane Oliveira / Ascom SJDHDS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com
Close