Debate sobre transtornos alimentares é proposta de evento gratuito em Salvador

 

A obsessão pelo corpo perfeito pode ser o princípio de uma série de transtornos que geram muita dor e sofrimento, em especial de jovens. Embora fortemente marcados pelo contexto social, os transtornos alimentares se tratam de doenças que precisam ser diagnosticadas e tratadas corretamente para assegurar uma vida normal aos pacientes. Com o objetivo de proporcionar conhecimento e reflexões sobre este tema, o Encontros Holiste deste mês de maio tratará desse assunto. O evento é gratuito e voltado para familiares de pacientes.

O encontro acontece no dia 22, às 19h, no auditório da Holiste e abordará o tema “Transtornos Alimentares”, com palestras da psiquiatra Camila Coutinho e da nutricionista Joyce Souza.  Para ter uma dimensão do problema, um estudo da Secretaria de Saúde de São Paulo apontou que 77% dos jovens da cidade são propensos a desenvolver distúrbios alimentares, e a cada dois dias uma pessoa é internada no SUS por anorexia ou bulimia.

Estas patologias são caracterizadas pelo comprometimento persistente do comportamento alimentar e pela forma como o indivíduo percebe o próprio corpo. Em sua palestra, Camila Coutinho aborda o tema “Entendendo os Transtornos Alimentares”.

“Quem sofre deste transtorno não consegue fazer escolhas livres em relação a sua alimentação e sua forma física e, por isso, se tornam reféns de seus medos e obsessões. Para alcançar o corpo imaginado, os indivíduos portadores de TA apresentam comportamentos alimentar disfuncionais que podem comprometer sua saúde física e psíquica”, alerta a psiquiatra.

Joyce Souza vai abordar a “Reabilitação Nutricional”. Para a nutricionista da Holiste, as alterações do comportamento alimentar podem ter forte impacto sobre a saúde em geral da pessoa, manifestando-se por alterações constantes de peso e, em muitos casos, levando aos extremos como a anorexia e a obesidade mórbida.

“Assim, a reabilitação do paciente deve ser realizada por uma equipe de profissionais multidisciplinar, que desenvolverão um plano de tratamento específico para cada paciente”, enfatiza Joyce.

Alguns dos transtornos alimentares mais comuns são obesidade, anorexia, bulimia e compulsão alimentar. As particularidades da sociedade atual vêm agregando novos nomes a esta lista, como ortorexia e vigorexia.

A ortorexia está associada à preocupação exagerada com a qualidade e procedência do que se come, que muitas vezes se estende para a família e os amigos. Vigorexia é um transtorno psicológico no qual a pessoa desenvolve uma obsessão em ter um corpo musculoso.

“Se a pessoa está muito acima ou abaixo do peso ideal para uma vida saudável, apresenta constante insatisfação com sua autoimagem e acumula prejuízos em sua vida social, é preciso buscar ajuda profissional”, revela a psiquiatra da Holiste, Camila Coutinho. *AT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com
Close