Construção civil cresce em SP, mas engatinha no resto do país

por Mayk Souza

Um dos setores que mais contribuem para a recuperada da economia do Brasil, a construção civil ainda segue com números bem modestos. O estado de São Paulo é o único com bons números, com 27% das novas vagas de emprego registradas em 2019.

As demais regiões do país são ainda dependentes de novas obras públicas e do retorno dos investimentos no programa Minha Casa Minha Vida.

Os estados do Tocantins, Roraima e Ceará são os que mais fecharam postos de trabalho na construção civil em 2019.

Profissionais da área como serventes, pedreiros, especialistas em concretagem, armadores, arquitetos, engenheiros, dentre outros, de 14 estados, viram a política de fechamento de postos de trabalho se consolidar em 2019, de acordo com informações do Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP).

O crescimento de novas vagas em São Paulo é bem concentrado na capital, com evolução de 49%. Já a grande SP teve uma redução de 4,1% nos postos de trabalho.

Eduardo Zaidan, vice-presidente de economia do SindusConSP, reforça que é necessário uma mudança de postura para que o setor cresça de maneira mais uniforme em todos os estados do Brasil.

“Quando se faz um investimento, metade do dinheiro passa nas mãos da construção. Por isso, é tão importante que haja uma melhora. Se o investimento continuar como está, a construção vai andar mais ou menos como no ano passado”, afirma Zaidan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *