Colunista Moacir Saraiva: “Não incomode”

Esta placa estava fixada na porta do apartamento 12, da Pousada e o dia todo. Os empregados acharam estranho o fato, uma vez que os hóspedes desse apartamento foram vistos na praia. Os hóspedes levaram as chaves do apartamento e deixaram o ar ligado, isso deixou os funcionários mais intrigados.
O dono da pousada quando soube ficou indignado, entretanto nada pôde fazer, uma vez que o disjuntor para desligar o aparelho ficava dentro do apartamento, além disso, ele não tinha providenciado a chave mestra da porta desse apartamento. Era um italiano e ficou fulo com seus patrícios por terem deixado o aparelho de ar condicionado ligado. O italiano esbravejou com seus funcionários e gesticulou bastante, mas nada pôde ser feito para desligar o aparelho. Chamou a camareira, pois esta, perdera a chave mestra apenas desse apartamento e ele jogou os cachorros sobre a moça, e falando um português ruim danado, a camareira nada entendera, só sabia que era briga por causa da vermelhidão que tomou conta do rosto do italiano e da gesticulação intensa. A moça entendeu muito bem apenas uma frase que ele falou. Ele encerrou sua fala da seguinte forma:
– Tu perder chava e eu perder dinhero.
A moça nada disse, uma vez que estava acostumada com a maneira nada polida do italiano.
À medida que o tempo passava o italiano ia ficando mais bravo, pois era a conta de energia que aumentava.
Um dos funcionários, ao passar na porta do apartamento, ouviu um barulho estranho e imediatamente comunicou ao italiano e os dois e outros funcionários foram para a porta, caminhando devagar para não produzirem nenhum som a fim de detectarem algo mais e decifrarem o agente provocador do estranho barulho. Uma cena interessante, quatro pessoas com o ouvido colado à porta prendendo até a respiração, ainda assim, não conseguiram materializar a autoria, mesmo eles tendo feito uma conferência ali mesmo.
Após a reunião e a desistência deles, o barulho aumentou e, por momentos, era como se fosse alguém correndo dentro do apartamento, no entanto, o proprietário queria era desligar o aparelho de ar-condicionado, não queria decifrar som nenhum.
Já batia 15 horas o relógio, nada do casal chegar. O italiano parecendo um tomate e já espumando de raiva. Tomou uma decisão estapafúrdia com relação ao apartamento do patrício. Arrombar a porta a fim de desligar o ar-condicionado, era só essa a preocupação do sujeito.
Arrombou a porta, ficou aliviado, mas decepcionado. Porque encontrou, no apartamento, uma cadelinha da raça maltês, brincando sozinha com uma bola pequena. O italiano foi fazer o que mais ele queria desligar o aparelho de ar-condicionado. Quando ia desligar, o casal de patrício chegou e, aos berros, disse:
– Meu cadela não poder ficar no calor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com
Close