Colunista Joice Vancoppenolle: “Le Rosé de Tavel”

 

Hoje, leitor, falarei sobre um vinho francês que não é nem Bordeaux, nem Borgonha e sim, o Rosé de Tavel.

Normalmente, quando imaginamos um vinho rosé, já pensamos em algo leve e bastante frutado, bom para tomar gelado, à beira da piscina. Resolvi então, escrever sobre este rosé, que provei no pequeno vilarejo de Tavel, Sul da França,  e que me surpreendeu pela sua complexidade e qualidade.

O rosé de Tavel, nada tem de leve ou frutado. Ele é um vinho robusto, distinto e potente. Pode ser servido como aperitivo  numa temperatura de serviço entre 8 e 10 graus ou acompanhando pratos como : paella, frutos do mar, peixes grelhados ou até mesmo com carne assada. Eu arrisquei harmonizá-lo com uma costela ao bafo e ficou maravilhoso.

Tavel é uma região que fica na parte Sul do Rhône e é uma apelação controlada que só faz vinhos rosés. As uvas usadas, em sua maioria, são Grenache, Syrah, Mourvédre e Cinsault, com outras uvas locais em menor proporção. Os vinhos normalmente têm bom custo benefício: o que eu bebi, me custou 8 euros,  mas há diversas outras opções, inclusive no Brasil, de R$ 49,00 aproximadamente.

A primeira vez que experimentei o Rosé de Tavel, foi na casa de um amigo francês, Alain Bertrand. Agrônomo e viticultor, natural de Tavel, tem sua própria vinha, herança de sua família. Apesar dos seus 4 hectares, o vinhedo  produz maravilhosos rosés artesanais que deixa qualquer produtor de grande porte, morrendo de inveja.

Voilà leitor, vou descrever o rosé de Tavel para você :

Varia entre 14 e 15 graus de teor alcoólico, de cor salmão vibrante, tem notas de frutas vermelhas frescas, no nariz (framboesas e morangos), acompanhada de aromas de terra, ervas secas e notas minerais, lembrando pedra molhada. Na boca, é seco, com acidez alta, bastante corpo, bem balanceado entre álcool e fruta, e retrogosto persistente, em sua maioria as vinhas são de 35 anos de idade e a colheita é exclusivamente manual. Fermentação em temperatura controlada, método saignée, 6 meses de envelhecimento em tanques de aço inox.

Concluindo : o  rosé de Tavel é extremamente seco e alto em teor alcoólico. Os franceses consideram esse vinho seu melhor rosé, porém deve ser consumido jovem e bem resfriado.

Ficou interessado ? Acesse o site www.baccos.com.br

e procure por este fenômeno francês.

 

Saboreiem do amor tudo o que um homem sóbrio saboreia do vinho, mas não se embebedem.”

Alfred de Musset

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com