Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT da Bahia promove Semana da Visibilidade Trans

O Dia da Visibilidade Trans, celebrado no dia 29 de janeiro, será marcado por diversas atividades promovidas pelos movimentos LGBTQIA+ em diversas partes do Brasil. Em Salvador, o Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT da Bahia (CPDD-LGBT), ligado à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), irá promover ações para marcar a data na capital baiana.

 

Na programação, constam lives, debates, ações de abordagens e acolhimento de pessoas transexuais. Além disso, as equipes jurídica, psicológica e de serviços sociais do CPDD-LGBT irão realizar ações voltadas para as pessoas transexuais assistidas pelo Centro, na Barra e nas redes sociais. As atividades on-line irão acontecer no perfil @CPDDBahia no Instagram. As ações tiveram início no último domingo (24), com o show da artista transexual Vanuza Alves, no palco do Bar Âncora do Marujo, na Carlos Gomes.

 

O show, como definiu a própria Vanuza, “é um ato de resistência, e também palco para reflexões dos desafios enfrentados pelas pessoas transexuais. O 29 de janeiro é um dia para celebrarmos as nossas lutas e vitórias, e ao mesmo tempo, cobrar dos governantes, políticas públicas para nós, transexuais. Eu sou artista transformista, segurança e balconista, e isso é uma conquista. Muitas iguais a mim estão fora do mercado de trabalho e da escola”, revelou Vanuza.

 

Fechando a programação, no dia 29 de janeiro será realizado um ato inter-religioso na plataforma Zoom, com participação de membros religiosos, que farão a benção e mediarão reflexões sobre o dia, com pedido de respeito e mais amor.

 

Para Renildo Barbosa, coordenador do CPDD-LGBT, essa data é fundamental para reflexões e reivindicações por respeito, trabalho e combate diário contra a transfobia, em todos os segmentos. “O 29 de janeiro é uma data fundamental para o movimento pelo Brasil, e aqui no CPDD também, pois vamos estar sempre de olho em toda forma de transfobia, e por meio da nossa equipe, do jurídico ao serviço social, buscar sempre caminhos para atender as pessoas transexuais e travestis, e também reivindicar, juntos às empresas, a inclusão da população trans em postos de trabalho. Janeiro é o marco, porém é preciso uma luta constante para a construção de políticas de inclusão e combate à transfobia. Não podemos nos silenciar diante deste cenário que vive a população trans no Brasil”, pontuou Renildo.

 

Para Dan Ferreira, homem trans, o CPDD-LGBT é o espaço onde ele encontrou o apoio que não tem na família. Dan foi posto para fora de casa após assumir sua identidade de gênero. “Aqui estou em casa e encontrei o apoio que preciso. Vivo uma luta diária, pois minha família me botou para fora de casa e isso não foi fácil para mim. Estou desempregado e para sobreviver vendo balas no sinal. A ajuda psicológica, jurídica e as cestas básicas oferecidas pelo CPDD-LGBT é o que tem feito a diferença em minha vida”, conta ele.

 

Sobre o 29 de janeiro

 

O dia 29 de janeiro de 2004 foi o dia em que 27 travestis, transexuais, homens trans entraram no Congresso Nacional em Brasília para lançar a campanha “Travesti e Respeito”, do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/AIDS e das Hepatites Virais do Ministério da Saúde. Essa data é considerada um marco histórico no movimento LGBTQI+, pois se referiu à primeira campanha nacional idealizada e organizada por pessoas travestis e transexuais para a promoção do respeito e da cidadania. Desde aquele tempo, a data não é somente lembrada, mas sim comemorada por ativistas travestis, transexuais, lésbicas e gays, com diversas ações de visibilidade dessa população, tais como: campanhas de empregabilidade no mercado formal de trabalho para pessoas travestis e transexuais, mutirão de retificação de prenome e gênero, cursinhos pré-vestibulares para travestis e transexuais, uso do nome social nas dependências de escolas, cursos e faculdades, entre tantas outras ações.

 

Programação:

 

Show em homenagem ao Dia da Visibilidade Trans

Data: 24/01

Horário: 20h

Local: Bar Âncora do Marujo

 

Live: Visibilidade trans, avanços no âmbito jurídico e futuras conquistas

Data: 26/01

Horário: 9h

Exibição: Instagram @cpddbahia

 

Ações de abordagens e acolhimento de pessoas transexuais na Barra

Data: 27/01

Horário: 17h

 

Exibição de vídeos sobre pessoas trans e sua relação com o mundo, com participação dos atendidos pelo CPDD-LGBT Bahia

Data: 28/01

Horário: 9h30

Exibição: Instagram @cpddbahia

 

Entrevista sobre os direitos ao acesso à saúde pelas pessoas transexuais e travestis com Prof° Carle Porcino e Paulete Furacão

Data: 28/01

Horário: 16h

Exibição: Instagram @cpddbahia

 

Ato inter-religioso para celebrar o Dia da Visibilidade Trans

Data: 29/01

Horário: 10h

Exibição: plataforma Zoom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com
Close