Carnaval: Cuidados com o sistema respiratório antes, durante e depois da folia

por Erem Carla
O cuidado com o corpo durante o carnaval deve fazer parte da preparação de todo folião. Os vários dias de agitação devem ser curtidos com moderação, sendo essenciais os cuidados para evitar problemas de saúde, como doenças respiratórias, desidratação, intoxicações alimentares, alergias, insolações e contaminação de doenças.

Com o carnaval chegando é importante também se divertir com saúde e cuidar do corpo mesmo antes da festa começar. A pneumologista Dra. Larissa Voss Sadigursky explica formas de aproveitar a folia de forma saudável antes, durante e depois da festa. “É importante que o folião tome cuidado. Máscaras ou outros acessórios podem dificultar a respiração, levando à fadiga. As plumas, por exemplo, podem provocar alergia respiratória”, destaca a especialista.

Devido às aglomerações, o carnaval é um ambiente propício para o aparecimento de casos de gripe e viroses. Aliados a isso, a má alimentação, exposição ao sol, excesso de bebida alcoólica e pouco descanso são fatores que contribuem para a queda da imunidade e acometimento de doenças no período pós-folia. “Nessa época, é comum o aparecimento de quadros que têm como formas de transmissão o contato físico, a tosse ou espirro. Por isso é importante estar com o sistema imunológico fortalecido para prevenção de doenças infecciosas transmitidas por via respiratória”,  alerta a pneumologista.

A movimentação de turistas é um fator de grande risco para o contágio. Como o carnaval é uma festa que recebe pessoas de diversas partes do Brasil e do mundo, o risco dessas pessoas se tornarem disseminadoras de doenças é muito maior. “Para evitar contágio, a dica principal é fazer, sempre que possível, a higiene das mãos antes de tocar nos olhos, nariz e boca e, principalmente, após tossir ou espirrar. O contágio também pode acontecer de forma indireta por meio do contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias. É importante também evitar o compartilhamento de alimentos, copos e objetos de uso pessoal”, afirma Dra. Larissa.

Os sintomas das viroses costumam aparecer cerca de cinco dias após a infecção. Entre eles está a febre, resfriado, congestão nasal, moleza, dores pelo corpo e dor de cabeça. “É importante que o paciente respeite os limites do seu corpo. Por mais que a festa esteja divertida, seu corpo tem um ritmo que precisa ser respeitado. Caso apareçam alguns sintomas, o paciente deve procurar um médico para receber orientações e cuidados”, recomenda.

Com relação ao Coronavírus (2019-nCoV), a pneumologista esclarece que ainda não há nenhum caso confirmado no Brasil, mas, com o carnaval e a vinda de turistas do mundo todo, existe a possibilidade de o vírus chegar ao Brasil de forma mais precoce. “A chegada do vírus ao Brasil é muito provável, mais cedo ou mais tarde. Não sabemos o comportamento do vírus na população brasileira – pode ser mais grave ou menos grave que o mundo afora, pois cada população pode reagir de uma maneira”. Por isso, fica o alerta para a higiene das mãos (com lavagem com água e sabão, e uso de álcool gel) e o cuidado com o sistema imunológico, tais como evitar excesso de bebida alcoólica, ingerir bastante água durante a folia e buscar também descansar.

Outro alerta que a médica pneumologista faz é quanto ao uso indevido de medicamentos. “Muitas vezes o paciente acaba ingerindo por conta própria ou por indicação de terceiros e acaba  trazendo complicações em casos de doenças que poderiam ser resolvidas de modo muito mais simples”, frisa.

“Caso haja sintomas como febre, dor no corpo, falta de ar, dificuldade para respirar, a pessoa deve procurar a emergência médica hospitalar imediatamente”, conclui. *

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *