Ataque de pânico: medidas que podem ajudar a interrompê-lo




Os ataques de pânico costumar ser desencadeados por ansiedade geral e transtornos como depressão. Além disso, podem ocorrer a qualquer momento do dia ou da noite, provocando medo, preocupação intensa e repetitiva, sudorese, respiração rápida, náusea e batimentos cardíacos acelerados. Quando o ataque acontece, a pessoa – e quem está com ela – normalmente não sabem o que fazer. Por isso, o Medical News Today, preparou uma lista do que pode (e deve) ser feito quando um ataque de pânico acontece.

1. Aceitação e reconhecimento

Para quem já passou por um ataque de pânico antes, recomenda-se que a pessoa mantenha em mente que, por mais perturbador e desagradável que possa ser, esse momento passa e não apresenta consequências físicas. É necessário reconhecer que o ataque é um breve período de ansiedade concentrada e vai terminar, mesmo que, a princípio, não pareça assim.

Quando procurar ajuda

  • Se um ataque de pânico durar mais tempo do que o habitual: a maioria dura entre 5 e 20 minutos;
  • Se for visivelmente pior do que o habitual;
  • Se estiver inibindo a vida de uma pessoa, possivelmente impedindo-os de trabalhar ou socializar;
  • Procure tratamento de emergência se houver suspeita de derrame ou ataque cardíaco.

2. Medicação

Alguns médicos costumam receitar remédios para uso apenas em momentos de crise, também conhecidos como PRN, que são de efeito rápido. Dependendo da gravidade dos ataques de pânico, o profissional da saúde pode prescrever um beta-bloqueador, como o propranolol, que retarda o batimento cardíaco acelerado e diminui a pressão arterial. Outra medicação a base de benzodiazepínico, como Valium e Xanax, são recomendados, mas o  corpo pode desenvolver tolerância a eles, podendo ser necessária um dosagem cada vez maior ao longo do tempo para alcançar o mesmo efeito. Por causa disso, alguns pacientes desenvolvem o vício e, portanto, devem ser usados com moderação.

3. Respirar fundo

Você com certeza já ouviu alguém dizer: “Respire fundo!”. Isso funciona. A respiração rápida, causada pela sensação de aperto no peito, aumenta a ansiedade e a tensão, por isso, fazer exercícios respiratórios ajudam a colocar a situação sob controle. Respire de forma constante, contando lentamente até quatro enquanto inspira e mais quatro ao expirar, trazendo o ar do abdome, enchendo os pulmões de forma lenta e constante.

4. Essências de lavanda

Alguns produtos à base de lavanda têm sido usados para aliviar a ansiedade e trazer a sensação de relaxamento. Inalar o cheiro de óleo de lavanda durante um ataque de pânico, por exemplo, pode ajudar a aliviar alguns sintomas. A melhor forma de fazê-lo é esfregar uma pequena quantidade de óleo no pulso (ou na mão) e inalar. No entanto, se a pessoa tiver tomado recentemente um medicamento benzodiazepínico, geralmente usado para o tratamento da insônia, a inalação da lavanda não é aconselhável já que a mistura dos dois pode causar sonolência. Consulte, de qualquer maneira, um médico.

5. Exercício leve

Caminhar pode afastar a pessoa que está passando pelo momento de pânico do ambiente estressante no qual ela está, além de produzir endorfinas, hormônios que relaxam o corpo e melhoram o humor. Outro benefício da caminhada e outros exercícios físicos é a regulagem da respiração.

6. Técnicas de relaxamento muscular

Outro sintoma de um ataque de pânico é a tensão muscular. Portanto, praticar técnicas de relaxamento muscular ajuda a limitar um ataque. Se a mente sente que o corpo está relaxando, outros sintomas, como a respiração rápida, também podem diminuir.

7. Limite de estímulos

Visões e sons podem intensificar um ataque de pânico, portanto, quando estiver passando por um, se possível, encontre um local mais tranquilo. Encostar-se na parede e fechar os olhos podem facilitar a concentração na respiração e outras estratégias de enfrentamento.

8. Reconheça seus gatilhos

Os ataques podem ser desencadeados por espaços fechados, multidões ou problemas com dinheiro. Ao aprender a gerenciar ou evitar os gatilhos, pode-se reduzir a frequência e a intensidade dos ataques.

9. Exercícios de atenção plena

Ataques de pânico podem fazer as pessoas se sentirem desligadas da realidade, por isso, focar a atenção em outra coisa pode re-ancorar uma pessoa e direcionar seu foco para longe das fontes de estresse. Alguns exercícios de atenção devem ser feitos para diminuir a intensidade. Veja o passo a passo:

  1. Olhe para cinco coisas separadas, pensando em cada uma delas por algum tempo;
  2. Ouça quatro sons distintos e examine o que há de diferente em cada um deles;
  3. Toque em três objetos. Considere a textura, temperatura e usos;
  4. Identifique dois cheiros diferentes. Eles provocam alguma lembrança?
  5. Prove algo. Pode ser um dedo ou um pedaço de doce.

Cada um desses passos devem ser executados minuciosa e calmamente.

10. Concentre-se em um objeto

Concentrar-se em um objeto próximo pode ajudar a interromper um ataque já que reduz outros estímulos. Quando uma pessoa olha para o item, pode querer pensar sobre como se sente, quem fez e qual a sua forma. Isso pode ajudar a reduzir os sintomas de um ataque de pânico. Para quem já passou por isso antes, ou costuma ter ataques com frequência, é recomendado sempre ter na bolsa algo que possa ser usado com esse propósito.

11. Imagine um lugar feliz

Todo mundo tem um “lugar feliz” no fundo da mente para onde costuma “fugir” quando está cansado, triste ou entediado. Esse lugar pode ser um excelente refúgio para quem está passando por um momento de pânico. Quando um ataque começar, feche os olhos e imagine o seu ‘lugar feliz”. Tente imaginar-se calmo e relaxado e aproveite a paisagem.

12. Repita um mantra

Tenha uma palavra, som ou frase que te ajude a se concentrar e te dê forças para passar por este momento difícil. Este mantra especial pode ser algo simples como “Isto também vai passar” ou pode ter um significado mais espiritual. A escolha é sua. Não esqueça de repeti-lo quando o ataque começar: no momento em que se concentrar nele suas repostas físicas devem diminuir, relaxando os músculos e permitindo que a respiração fique sob controle.

13. Converse!

Se os ataques de pânico ocorrem com frequência no mesmo ambiente, como o local de trabalho ou ambiente escolar, pode ser útil informar as pessoas ao seu redor para que saibam que tipo de suporte devem oferecer. Casos os ataques aconteçam em público, pedir ajuda a uma pessoa próxima e informá-la do que fazer, como levá-lo para um local tranquilo, pode ajudar.

Como ajudar alguém que está tendo um ataque de pânico

  1. Fique calmo: seu nervosismo pode deixar a pessoa ainda mais agitada;
  2. Certifique-se de que a pessoa tenha espaço suficiente ao seu redor;
  3. Sugira uma caminhada até um local mais tranquilo nas proximidades;
  4. Lembre a pessoa que os ataques de pânico sempre terminam;
  5. Ajude-os a controlar a respiração; pratique com ela exercícios respiratórios;
  6. Evite fazer muitas perguntas e não valide declarações negativas;
  7. Nunca diga a alguém para se acalmar ou dizer que não há nada para se preocupar.
  8. Fique por perto: mesmo que a pessoa insista que precisar ficar sozinha, certifique-se de que ela permaneça no seu campo de visão.

Foto: Caminhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *