Após goleada, Dado elogia Nino e Rossi e diz que busca regularidade: “Grupo não está pronto”

Com Gilberto inspirado, o Bahia aplicou uma goleada por 5 a 0 para o Altos-PI e assumiu a liderança provisória do seu grupo na Copa do Nordeste. O atacante marcou quatro vezes, e Rodriguinho completou a festa.

Dado Cavalcanti, técnico do Bahia — Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Dado Cavalcanti, técnico do Bahia — Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Apesar dos gols do camisa 9, a atuação da dupla Nino e Rossi chamou a atenção e mereceu elogios de Dado Cavalcanti em entrevista coletiva concedida após a partida.

O treinador falou sobre a importância da dobradinha dos atletas para criar espaços na defesa adversária.

– Os dois jogadores pelo lado direito conseguiram uma ocupação de espaço muito importante. Rossi atrai a atenção do lateral adversário vindo por dentro e abre o corredor para Nino fazer a ultrapassagem. Isso vem se repetindo em vários jogos. Em algumas oportunidades, Nino consegue receber essa bola mais perto da nossa defesa e abre campo para Rossi ir em profundidade. O gol de Rodriguinho é um exemplo, a gente veio lá de trás, engatilhou o facão por trás do lateral. Rossi tem facilidade nesse passe. Isso nos traz um aumento de repertório e deixa aquele lado do campo com bastante possibilidade de ataque e variação de posicionamento – afirmou.

Outro jogador que mereceu uma avaliação de Dado foi o zagueiro argentino Conti, que fez sua estreia com a camisa tricolor e permaneceu em campo durante os 90 minutos.

– Foi importante o lastro que demos ao Conti. Sabemos que o ritmo para o jogador é fundamental. Para zagueiro talvez ainda mais. Está constantemente exposto à bola aérea. E o tempo de jogo é diferente do tempo de treino. Fiquei feliz, jogo tranquilo, jogo limpo. É um jogador técnico, zagueiro clássico, não é de dar botinada. Se comporta bem nas leituras defensivas. É um jogador bem mais frio, tranquilo. Ganhamos na construção ofensiva, ele tem repertório, bom passe, achou Rodriguinho várias vezes, achou Nino também. Jogador que tem repertório. Ganhamos lastro de 90 minutos para que ele melhore a forma física e ganhe ritmo de jogo – afirmou Dado.

A goleada acontece em um momento em que a equipe estava sendo muito criticada pela atuação da derrota para o CSA, no meio de semana. Como aconteceu outras vezes na temporada, a resposta veio com um placar elástico.

Só que Dado ainda busca a regularidade do Bahia, que oscila atuações muito boas e muito ruins.

– Tenho repetido as respostas em cima dessa pergunta. Vou repetir mais uma vez. É uma busca incessante de qualquer treinador do mundo, a regularidade. Fico satisfeito por estarmos dando respostas. A nossa equipe não é regular para baixo. Quando a gente é agressivo, coloca a bola no chão, damos respostas positivas. Nosso desafio é que os jogadores entrem em campo sempre com esse sangue no olho – disse.

Essa é nossa pretensão. Requer tempo. Fizemos alguns jogos com essa formação. Ainda temos jogadores a chegar, jogadores que vão estrear. Nosso grupo vai se fortalecer. Nosso grupo está longe de estar pronto.

O Bahia agora tem uma semana inteira pela frente antes da partida contra o Fortaleza, marcada para o próximo sábado, novamente pela Copa do Nordeste. *GE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popups Powered By : XYZScripts.com
Close