Após auditoria, Justiça Eleitoral descarta fraude em urnas eletrônicas

A auditoria da Justiça Eleitoral concluiu que não há indícios de fraude na votação realizada no primeiro turno das eleições. A ação foi realizada em urnas eletrônicas após queixas de eleitores nos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais.

Segundo a Folhapress, as auditorias atenderam a pedidos de eleitores e do PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, que se queixaram de que a foto do candidato não aparecia na urna, ou que a votação fora encerrada sem que fosse pressionada a tecla “confirma”.

Os procedimentos em 21 urnas foram acompanhados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), OAB, partidos políticos e peritos da Polícia Federal e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), abertos ao público. Os auditores verificaram os lacres, o funcionamento e em alguns casos repetiram as votações.

Ainda conforme a Folhapress, uma das urnas auditadas apresentou defeito em diversas teclas. Ela foi usada na seção 227, em Cidade Tiradentes, mas foi substituída na manhã do domingo de eleições após queixas de eleitores.

Os peritos que acompanharam os testes ainda preparam laudos de auditoria. Segundo a Folhapress, uma sessão pública será agendada para a apreciação dos laudos.

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *