A titulação de jornalista





É comum os profissionais que trabalham na comunicação serem chamados de jornalistas, mas nem todos são. O profissional para ter essa titulação necessita cursar em média quatro anos, se não é radialista, locutor, comunicador. Apesar disso, não se deve desmerecer essas outras profissões que são de importância na propagação da informação em uma localidade.

No curso de jornalismo, o universitário terá contato com questões éticas, históricas, áreas especificas e todos os processos do jornalismo para a construção de um trabalho de credibilidade. A profissão de jornalista exige um estudo científico, trata de informação de interesse público e deve ser feito por alguém capacitado.

Precisa-se fazer esta distinção, já que uma crise é formada em torno do jornalista. Atualmente, os profissionais se veem muitas vezes desvalorizados. Passam anos estudando e na hora de ir para o mercado de trabalho encontram dificuldades. Uma vez que há pessoas sem a mesma qualificação ocupando o cargo destinado à sua formação.

A problemática está na exigência do diploma. Diferente de outras áreas há anos um profissional não necessita ser jornalista para ocupar um cargo nesta área. Quando pôde mudar, o Supremo Tribunal Federal em 2009 votou pela não exigência. Felizmente uma luz surgiu no fim do túnel. No ano passado, uma proposta pedindo a exigência foi aprovada pelo Senado e o texto será votado na Câmara dos Deputados.

Muitos denominam essa possível mudança de prejudicial a liberdade de expressão. Pelo contrário. Esta liberdade será preservada, mas seguindo os princípios jornalísticos.

Joberth Melo é estudante de jornalismo pela Unime Salvador e cursa o 5º semestre. Já realizou trabalhos para o Portal Nas Malhas da Lei e atualmente é diretor do Portal Atualiza Bahia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *